Segunda-feira, 25 de Setembro de 2006
(5) O LOBO MAU

Não tenhamos dúvidas

                                  se fomos crianças

                                  se fomos amados

foi com intenção ternurenta que nos embalaram, contando e recontando, entre outras, a história do lobo mau e do capuchinho vermelho, mergulhando a nossa candura de então nesse mundo do faz de conta.      

 Aí nessa profundeza onde,  separarados os bons dos maus,  se esvaziam os espaços intermédios.     Mais ou menos bom ou mau não existiam.

Vamos crescendo nesse encanto, sem nos apercebermos do seu desencanto.

É óbvio que ainda hoje, na vida real, há por aí "lobos" a comer o capuchinho e a avózinha e, se apetite lhes restar, ainda se aproveitam do cabaz da merenda.

O verdadeiro sacrificado, no meio do turbilhão, parece ter sido o lobo.

Viu a sua reputação arrastada na lama, não que isso lhe importe por certo, quando no fim apenas cumpre o seu fado e o lugar  a ele destinado nesta prisão enorme que é o nosso planeta.

Mais um a sofrer do preconceito.

 

 

 



publicado por preconceitos às 10:05
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

MUDANÇA

(26) a DEUS

(25) O ADEUS

(24) A FLOR E O SOL

SEM REGRESSO

(22) OCASO

(21) ILUSÕES

(20) ORAÇÕES

(19) O CHILREIO

(18) PARA SEMPRE

(17) CUIDADO, NÃO APONTE.

(16) A CRISE

(15) (CON) VENCIDO PELO C...

(14) O MISTÉRIO

(13) O DESABAFO

(12) NO REINO DA MENTE

(11) A CULPA

(10) OS CUSCAS

(9) MEMÓRIA

(8) BLÁ-BLÁ

(7) AS SANDÁLIAS

(6) A MAÇÃ

(5) O LOBO MAU

(4) FAZER AMOR

(3) CONTRADIÇÕES

(2) O BRINCO

(1) CONFISSÃO

arquivos

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds